Domingo, 30 de Março de 2008
A vida verdadeira

Pois aqui está a minha vida.
Pronta para ser usada.
Vida que não guarda
nem se esquiva, assustada.
Vida sempre a serviço
da vida.
Para servir ao que vale
a pena e o preço do amor

Ainda que o gesto me doa,
não encolho a mão: avanço
levando um ramo de sol.
Mesmo enrolada de pó,
dentro da noite mais fria,
a vida que vai comigo
é fogo:
está sempre acesa.

Vem da terra dos barrancos
o
jeito doce e violento
da minha vida: esse gosto
da água negra transparente.

A vida vai no meu peito,
mas é quem vai me levando:
tição ardente velando,
girassol na escuridão.

Carrego um grito que cresce
Cada vez mais na garganta,
cravando seu travo triste
na verdade do meu canto.

Canto molhado e barrento
de menino do Amazonas
que viu a vida crescer
nos centro da terra firme.
Que sabe a vinda da chuva
pelo estremecer dos verdes
e sabe ler os recados
que chegam na asa do vento.
Mas sabe também o tempo
da febre e o gosto da fome.

Nas águas da minha infância
perdi o medo entre os rebojos.
Por isso avanço cantando
Estou no centro do rio
estou no meio da praça.
Piso firme no meu chão
sei que estou no meu lugar,
como a panela no fogo
e a estrela na escuridão.

O que passou não conta ?, indagarão
as bocas desprovidas.
Não deixa de valer nunca.
que passou ensina
com sua garra e seu mel.

Por isso é que agora vou assim
no meu caminho. Publicamente andando
Não, não tenho caminho novo.
O que tenho de novo
é o jeito de caminhar.
Aprendi
(o que o caminho me ensinou)
a caminhar cantando
como convém
a mim
e aos vão comigo.
Pois já não vou mais sozinho.

Aqui tenho a minha vida:
feita à imagem do menino
que continua varando
os campos gerais
e que reparte o seu canto
como o seu avô
repartia o cacau
e fazia da colheita
uma ilha do bom socorro.

Feita à imagem do menino
mas a semelhança do homem:
com tudo que ele tem de primavera
de valente esperança e rebeldia.

Vida, casa encantada,
onde eu moro e mora em mim,
te quero assim verdadeira
cheirando a manga e jasmim.
Que me sejas deslumbrada
como ternura de moça
rolando sobre o capim.

Vida, toalha limpa
vida posta na mesa,
vida brasa vigilante
vida pedra e espuma
alçapão de amapolas,
sol dentro do mar,
estrume e rosa do amor:
a vida.

Há que merecê-la

 

(Autoria: Amadeu Thiago de Mello)




publicado por escorpion às 20:30
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 29 de Março de 2008
Quando o céu nos sorri!...

 

 

 ... nas asas de uma gaivota, vem-nos à memória, nesta altura do ano, o quanto este mundo seria lindo se houvesse Paz, Amor e Harmonia entre os Homens.

  Deixemo-nos disso. Hoje apregoamos a Paz e amanhã andamos à guerra. Hoje apregoamos o Amor e amanhã olhamos a mão que se nos estende com desdém. Hoje apregoamos a Harmonia e amanhã andamos a "cozer" na casaca do vizinho.

  Vivemos num mundo hipócrita. Deseja-se que o céu nos sorria mas não fazemos nada para que assim seja.

  Mata-se, viola-se, escraviza-se. Maltratam-se as crianças que por sua vez, quando adultos, maltratam outras crianças. É a “Alegoria da Caverna” de Platão, fazemos o que nos fizeram. Nada mais vemos para além da caverna.

  Hoje andamos com uma lágrima no olho, por causa dos doentinhos, por causa de quem nada tem e andamos nos Centros Comerciais a atafulhar de brinquedos para crianças que no dia seguinte as colocam de lado pois o que mais têm é fartura de brinquedos, de roupas para oferecer a pessoas que a maior parte, quando as recebem, recebem-na com um sorriso e com um agradecimento mas que nunca mais as vestem ou porque as acham pirosas ou porque não fazem o gosto delas.

  E assim rola o mundo.

  Deixa-te de ter pena hoje de quem precisa, sim tu que me estás a ler, pois amanhã essa pena já passou e vais passar 364 dias a pensar no teu umbigo.

  ... E que tal começar a fazer de Hoje o teu Natal de Sempre? Todos os dias, faz do teu sorriso o teu Céu, não esperes que sejam as gaivotas a fazê-lo por ti.

(Poema da Laura - Ser Solidário)



publicado por escorpion às 01:02
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 26 de Março de 2008
A umas saudades


Saudades de meu bem, que noite e dia
A alma atormentais, se é vosso intento
Acabardes-me a vida com tormento,
Mais lisonja será que tirania.

Mas, quando me matar vossa porfia,
De morrer tenho tal contentamento,
Que em me matando vosso sentimento,
Me há-de ressuscitar minha alegria.

Porém matai-me embora, que pretendo
Satisfazer com mortes repetidas
O que à beleza sua estou devendo.

Vidas me dai para tirar-me vidas,
Que ao grande gosto com que as for perdendo
Serão todas as mortes bem devidas.


(António Barbosa Bacelar)


publicado por escorpion às 17:46
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 24 de Março de 2008
Saudade

 

Um dia a maioria de nós irá se separar.  
Sentiremos  saudades de todas as conversas jogadas fora,  as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos  tantos  risos e momentos que compartilhamos.
Saudades até dos momentos de lágrima, da  angústia,  das vésperas de finais de semana, de finais de  ano,  enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades  continuassem para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza  disso.
Em breve cada um vai pra seu lado, seja  pelo destino,  ou por algum desentendimento, segue a sua vida,  talvez continuemos a nos encontrar quem sabe......
nos e-mails trocados.
Podemos nos telefonar conversar algumas  bobagens....
Aí os dias vão passar, meses... anos...  
até este  contato tornar-se cada vez mais  raro.
Vamos nos perder no tempo....
Um dia  nossos filhos  verão aquelas fotografias e perguntarão?
Quem são aquelas  pessoas?
Diremos...
Que eram nossos amigos.  
E......
isso vai doer tanto!
Foram meus amigos, foi com eles que vivi  os melhores anos de minha vida!
A  saudade vai apertar bem  dentro do peito.
Vai dar uma vontade de ligar, ouvir  aquelas vozes novamente......
Quando o nosso grupo estiver  incompleto...
nos reuniremos para um último adeus de um amigo.
E  entre lágrimas nos abraçaremos.
Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante.
Por fim, cada um vai para o seu lado para  continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.
E nos perderemos no  tempo.....
Por isso, fica aqui um pedido deste  humilde amigo :
não deixes que a vida passe em branco, e que  pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades....
Eu poderia suportar, embora não sem dor,  que tivessem morrido todos os Meus amores, mas enlouqueceria  se morressem todos os meus amigos!"

O texto é de autoria de Fernando Pessoa, mas vale para  qualquer amigo externar seus sentimentos.


publicado por escorpion às 01:01
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 19 de Março de 2008
Silêncio e Loucura
Palavras que tocam o coração,
São raios de luz numa madrugada,
Timbrados sons duma boca calada
Filhas de fértil imaginação.
 
Palavras que arranco do fundo da alma,
Que para a vida me servem de alento
E vão navegando ao sabor do vento,
Cortando ondas com máxima a calma.
 
Dias há que a tempestade perdura
E não consigo ver o fim da meta,
Porque vejo a vida muito obscura,
 
E, cada vez, se torna mais secreta.
No silêncio do homem, que é loucura,
Lutando com a loucura do poeta.
(José M. Raposo)


publicado por escorpion às 17:35
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Março de 2008
Sou

Sou a luz que brilha,
Em sua alma colorida,
Bailando na mú
sica da vida.

Sou o reflexo da sua energia,
Ignorando a escuridã
o,

Espalhando sua magia.

Sou o segredo de seu olhar,
Quebrando toda indiferenç
a,

Mostrando que é possí
vel amar.

Sou o início e o fim da corrente,
Entrelaç
ada pelo amor e a esperança,
Que a tudo pode resistir.

Sou seu desejo e sua realização,
Vagando silenciosamente,
Entre os que nã
o percebem nossa emoção.

(Alberto Leal - 4 junho 2007)   



publicado por escorpion às 19:32
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Março de 2008
Delicadeza
Ainda ontem estava aqui muito senhora,
Quase toda a gente a conhecia,
Ninguém sabe a razão de se ir embora,
Se foi vontade ou do tempo profecia.

Ficou apenas um vazio no seu lugar,
Entristecendo assaz quem bem a conheceu
E eu, num permanente interrogar,
Quis saber aonde e porquê se escondeu.

Perguntei sem receio a toda a gente,
Procurei no silêncio e barafunda
E já exausto, encontrei-a finalmente…

Estava ela numa amargura profunda,
Chorando a sua sina descontente,
Abandonada a um canto, moribunda !…
Para ouvir este poema declamado pelo autor Euclides Cavaco, acesse: http://www.euclidescavaco.com/Recitas/Delicadeza/index.htm


publicado por escorpion às 13:41
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 12 de Março de 2008
Escondido

Estou em seus sentimentos,
Dentro da sua fortaleza,
Em contato com mares e montanhas do seu mundo,
Vendo o que nem você
consegue ver.

Tiro-te a razão,
Iludo-te com a emoçã
o,
Dou-te o mundo e te tiro o chã
o.

o importa o que você possa fazer,
o importa quem eu possa magoar,
Quero te dominar, te estraç
alhar e te recriar,

Com tudo que você possa sentir,
Com tudo que você
pode amar.

Até o último suspiro chegar,
o adianta resistir,
Na essê
ncia do seu ser,
Eu jamais vou parar,
Sempre vou te surpreender.

  (Alberto Leal - 4 junho 2007)   



publicado por escorpion às 18:45
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 9 de Março de 2008
Amigos são luzes (Dorcila Garcia)
Amigos são luzes que iluminam nosso caminho quando só vemos escuridão.
Luzes que nos fazem enxergar com clareza o que nos parece tão confuso.
Luzes que depositam em nossos olhos o brilho de um abraço-irmão.
Amigos são luzes de fogos de artifício celebrando nossas vitórias.
Luzes que nos revestem de brilho diante das coisas mais singelas.
A nos embalar o sono, luzes diáfanas, refletidas na janela.
Amigos são luzes coloridas que nos convidam a sonhar.
Luzes enfileiradas adornando nossa árdua trajetória.
Luzes que se convertem em lágrimas para ao nosso lado chorar.
Amigos são luzes vindas do mar em forma de pérolas,
jóias reluzentes premiando a mais bela amizade.
Luzes de um palco encantado, que representa a verdade.
Amigos são luzes de vagalumes que voam alegres no quintal.
Luzes que iluminam nossa alma com seu belo cintilar.
Luzes mágicas, que convertem o mais rude casebre em palácio real.
Quem tem um amigo-luz é um ser abençoado.
Um dia repleto de Luz!


publicado por escorpion às 23:55
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 7 de Março de 2008
Além da imaginação
Tem gente passando fome
E não é a fome que você imagina
Entre uma refeição e outra.
Tem gente sentindo frio
E não é o frio que você imagina
Entre o chuveiro e a toalha.
Tem gente muito doente
E não é a doença que você imagina
Entre a receita e a aspirina.
Tem gente sem esperança
E não é o desalento que você imagina
Entre o pesadelo e o despertar.
Tem gente pelos cantos
E não são os cantos que você imagina
Entre o passeio e a casa.
Tem gente sem dinheiro
E não é a falta que você imagina
Entre o presente e a mesada.
Tem gente pedindo ajuda
E não é aquela que você imagina
Entre a escola e a novela.
Tem gente que existe...
E parece imaginação.


publicado por escorpion às 16:56
link do post | comentar | favorito
|

Fazer olhinhos

 



English Version

pesquisar
 
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Faz-me teu Poeta (Emanuel...

Mar Português (Fernando P...

Mãos dadas (Carlos Drummo...

As duas flores

Todos estão surdos

Abraço de Natal

Apenas uma mensagem

Não aprendo a lição

O sol na minha mão

Anjos já amaram e chorara...

arquivos

Outubro 2014

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Meus Amigos
Guerreiro da Luz

Criticando Meio Mundo

Causas e Efeitos

Viajante no Mundo

Cantinho das Emoções

Apenas Assistindo

Um Olhar Feminino

Vida, Verdade, Visão

blogs SAPO
subscrever feeds