Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010
Cavalgada
.
Vou cavalgar por toda a noite
Por uma estrada colorida
Usar meus beijos como açoite
E a minha mão mais atrevida
.
Vou me agarrar aos seus cabelos
Pra não cair do seu galope
Vou atender aos meus apelos
Antes que o dia nos sufoque
.
Vou me perder de madrugada
Pra te encontrar no meu abraço
Depois de toda a cavalgada
Vou me deitar no seu cansaço
.
Sem me importar se neste instante
Sou dominado ou se domino
Vou me sentir como um gigante
Ou nada mais do que um menino
.
Estrelas mudam de lugar
Chegam mais perto só pra ver
E ainda brilham de manhã
Depois do nosso adormecer
.
E na grandeza deste instante
O amor cavalga sem saber
E na beleza desta hora
O sol espera pra nascer.
.
(Roberto Carlos)


publicado por escorpion às 01:35
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010
Natureza



publicado por escorpion às 17:53
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010
Doação (Mário Neves)
 
Eu te dou a minha vida!
Sei que ela é de Deus,
mas quero que seja tua também.
Eu te dou meu coração!
Todos os sonhos meus
as minhas orações e meu amém.
 
Eu te dou as cores, o som,
um espaço de paz e de luz!
Faço uma poesia de sorrisos,
de tudo de belo que já vivi.
E te dou os versos que compus,
os meus doces suspiros por ti.
 
Eu te dou os dons da natureza,
sei que emprestados mas te dou
e tudo como a mais suave prece.
Eu te dou tudo o que sou.
Dou também uma exótica flor
a qual nem a primavera conhece.
 
E em retribuição a tudo que te dou,
quero o teu necessário amor,
porque viver sem ele não posso.
Sei que tendo o teu amor eu vou
resgatar tudo aquilo que doei.
E tudo meu amor...Tudo será nosso.


publicado por escorpion às 00:20
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010
Tragédia no Haiti

 A terra estremeceu com violência
Assolando o Haiti pobre nação
Catástrofe que deixou sem clemência
Um rasto de morte e destruição.

Um sismo gigantesco e de terror
Na fúria das forças da Natureza
Mergulhou o Haiti em luto e dor 
E o mundo solidário em tristeza!...

Ceifou num só momento tantas vidas
Deixando um vazio de horror atroz
De almas e memórias destruídas!...

Tragédia que tocou em todos nós
Quais mágoas amargas e tão sentidas
Fazem calar bem fundo a nossa voz!...

 

 

 

 

Iniciámos o ano de 2010 com uma grande tragédia no Haiti em que pereceram muitos milhares de semelhantes nossos.
Compartilho aqui o poema solidário de pesar do Amigo e Poeta Euclides Cavaco.
Caso queira ver e ouvir este soneto declamado, acesse o link:
http://www.euclidescavaco.com/Recitas/Haiti/index.htm

-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-o-



publicado por escorpion às 16:01
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010
Vergonha (Marquinhos Poesia)

[jesus-com-vergonha.jpg] 

 

 

Somos um erro de Deus,
Uma doença na terra,
O mau hálito da atmosfera,
Um câncer maligno.
 
Só vivemos de erros,
Uma estrada sem destino,
Não temos concerto,
Somos um grande problema,
Este é o grande dilema.
 
Não podemos jogar o lixo fora da terra,
É ai em que o mundo se ferra.
Não rezamos o verbo correto,
Somos a nós mesmos indigestos.
 
Queremos ocupar todo o espaço,
Sem sermos sensato...
A cada ano que passa, o povo se multiplica,
E tudo se complica.
 
Não temos uma firme ideologia,
Não nos preocupamos com a ecologia,
O calor intenso que provocamos,
Faz da terra uma sauna,
Acabamos com a fauna –
Somos a vergonha profana,
Uma doença humana.

 

 



publicado por escorpion às 14:53
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010
Reflexo do Ser

 

 

“O ser humano é reflexo do caráter.
O meio fabricou a dor.
Moldamo-nos às coisas pela metade.
O universal nunca alcança seu esplendor.

Ao conhecermos o próximo somos sábios,
e ao conhecermos a nós mesmos somos iluminados.
Tais são pensamentos de alucinado,
ou a verdade choca seu pudor?

A ignorância norteia nossa sociedade.
Confesso que nos sentimentos mais nobres há resquícios de maldade.
A felicidade nunca é plena, somente enquanto dura.
Às penas nossa vida é feita por tentativas de conduta.

Se teu pudor está fragilizado,
à duras penas conseguiu tal virtude.
Quem se envergonha diante do espelho,
ao ver o próprio reflexo do despeito?

Se perdeu a esperança no bom senso,
tu não és o único meu amigo!
Mas confesso que é melhor sonhar acordado,
do que acordado sonhar que está dormindo.

Zumbidos que atormentam as almas dos inocentes.
Inocentes? Onde? Talvez esteja eu sendo displicente.
Mas quem sabe esteja eu com a certeza,
de tentar fazer com que você veja a podridão que é.

As rimas se perdem em tentativas não válidas.
Sem validade também são as ações humanas.
Sabe que morrerá quando a sua feição está pálida.
Sempre pensamos assim nas nossas incertezas do nada.


publicado por escorpion às 17:12
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 10 de Janeiro de 2010
Um Sorriso

 

Poema de Euclides Cavaco
(www.ecosdapoesia.com)
 
Um sorriso nesta vida
É sempre agradável ver
Nada custa a quem o dá
E é tão grato receber.

Um sorriso em qualquer boca
Dado ao princípio do dia
Faz o dia mais brilhante
Transparecendo de alegria.

Um sorriso verdadeiro
Com sentimento na alma
Soleniza circunstâncias
E inspira a paz e a calma.

Um sorriso pode dar-se
Mesmo às vezes sem vontade
Mas seja lá como for
Transmite graciosidade.

Um sorriso a qualquer hora
É sempre contagiante
Faz dele imagem fagueira
Que nos fica desse instante.

Um sorriso é saudável
E ao ser humano é preciso.
Ai como é gratificante,
Ver à chegada um sorriso !… 


publicado por escorpion às 01:41
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 8 de Janeiro de 2010
Chagas de amor


Esta luz, este fogo que devora.
Esta paisagem gris que me rodeia.
Esta dor por fixar-me numa idéia.
Esta angústia de céu, de mundo, de hora.

Este pranto de sangue que decora
lira já sem vigor, lúbrica teia.
Este peso do mar que me golpeia.
Esta lacraia que em meu peito mora.

São grinaldas de amor, chão de ferido
onde me deito e sonho-te a presença
nas ruínas de meu peito já destruído.

E embora eu aja na maior prudência,
me dá teu coração vale estendido
com cicuta e paixão de amarga ciência.

(Federico Garcia Lorca)



publicado por escorpion às 02:06
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2010
Recomeça...

Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças…

-Miguel Torga-



publicado por escorpion às 22:49
link do post | comentar | favorito
|

Fazer olhinhos

 



English Version

pesquisar
 
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Faz-me teu Poeta (Emanuel...

Mar Português (Fernando P...

Mãos dadas (Carlos Drummo...

As duas flores

Todos estão surdos

Abraço de Natal

Apenas uma mensagem

Não aprendo a lição

O sol na minha mão

Anjos já amaram e chorara...

arquivos

Outubro 2014

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Meus Amigos
Guerreiro da Luz

Criticando Meio Mundo

Causas e Efeitos

Viajante no Mundo

Cantinho das Emoções

Apenas Assistindo

Um Olhar Feminino

Vida, Verdade, Visão

blogs SAPO
subscrever feeds