Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009
Um recado desesperado
Grito de desespero de um viciado - Valeriano Luiz da Silva

T
o parado aqui na praça
Procurando meu comparsa
Eu só to meio chapado
Só fumei um baseado

Fico aqui na moral não to fazendo zueira
Se a joaninha trouxer gambé vazo daqui na carreira
Hoje sou um drogado, mas já fui um bom micreiro
Se não tivesse deixado a escola eu já era engenheiro

Tudo começou
Quando na escola chegou...
Um moço parecendo ser um rico doutô
Foi me vendo e me chamou...

Vamos ali ao escuro
Quero mostrar-te ouro puro...
Tirou um pacotinho
E me deu certo pozinho

Depois que eu aspirei
No mundo viajei...
Ai eu delirei... psicodélico fiquei
Senti anestesiado muita coisa eu sonhei

Depois me deu um bode acabou o efeito
Passei mal de todo jeito
Só que a partir do dia seguinte
Do moço eu era constituinte

A escola eu abandonei
E com os caras entusiasmei
Estou gritando e procurando... Cadê, cadê, cadê o meu LSD,
Se não tomar LSD eu prefiro é morrer

Preciso de euforia procuro excitação
Hoje eu já bebi álcool, mas não trouxe solução...
Ontem arrumei força pra um trampo porque usei anfetamina
Será porque esta vida maldita... é a minha sina...

Já que não tem LSD quero aspirar cocaína
Se não tiver outra coisa me traga heroína
A grana pra pagar já está em minhas mãos...
Da mamãe eu já vendi até o Vídeo e a televisão

Mano ! Vê se cola lá um crack sei que vai me dar depressão
Não tendo outra coisa o Crack é a solução
Ajuda-me mano ! Traga-me maconha quero ficar logo ligadão
Vou me virando aqui com o tabaco, me dê aí um ecstasy para fazer uma ingestão...

A droga está me matando
Vejo minhas forças acabando
Uma pá de vezes mamãe vive me internando
Mas a droga está me superando

Ô mano ! Se você é careta não entre no caminho que entrei
Assim que fui pro mundo da droga
O colégio abandonei...
Já tenho colega médico e eu na droga me formei

Eu ainda sou feliz porque a morte não me encontrou...
Já perdi vários colegas que a droga matou
Uns foram mortos assassinados
Outros nos hospitais abandonados

Cadê, cadê, cadê... Me traga o LSD,
Se não vier logo eu prefiro mesmo morrer
- Pare com isso vamos pra casa meu filho...
Quem é você ? Sou sua mãe, que combate a droga pra você não morrer...

Mãe espera eu puxar só um beck
Vamos pra casa filhinho, oh pai! Que saudade do meu pequeno moleque
Mãe ! Espera um pouco que o vapor vai chagar...
Filho ! Agora vamos, veja aí a ambulância te esperando pra internar...


Obs: as gírias contidas na poesia segundo pesquisa
são usadas pelos usuários de drogas.

"Adote seu filho antes que o traficante adote".
(Neuzimar Fraga - Político brasileiro - Capixaba/ES).


publicado por escorpion às 15:31
link do post | comentar | favorito
|

Fazer olhinhos

 



English Version

pesquisar
 
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Faz-me teu Poeta (Emanuel...

Mar Português (Fernando P...

Mãos dadas (Carlos Drummo...

As duas flores

Todos estão surdos

Abraço de Natal

Apenas uma mensagem

Não aprendo a lição

O sol na minha mão

Anjos já amaram e chorara...

arquivos

Outubro 2014

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Meus Amigos
Guerreiro da Luz

Criticando Meio Mundo

Causas e Efeitos

Viajante no Mundo

Cantinho das Emoções

Apenas Assistindo

Um Olhar Feminino

Vida, Verdade, Visão

blogs SAPO
subscrever feeds